Centro de Estudos Sociais
sala de imprensa do CES
RSS Canal CES
twitter CES
facebook CES
youtube CES
20-07-2014        Público [Revista 2]    [ pp. 12-22 ]

Durante um quarto de século, existiu no centro de Portugal uma “ridente aldeia” para onde era levado à força quem tinha lepra. Nesse sítio, onde as flores tapavam o arame farpado, os filhos dos doentes eram retirados às mães no exacto momento em que nasciam, para não lhes poderem tocar. Educados num mundo à parte, eram mostrados aos pais através do vidro. Na propaganda do Estado Novo, eles eram os afortunados “filhos sãos”.

Documentos
   LER ARTIGO   

 
 
pessoas



 
temas
saúde pública    Estado Novo    lepra